sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

lírica

Belchior: Autorretrato.
 
Eu não sou eu nem sou o outro,
Sou qualquer coisa de intermédio...

(Mário de Sá-Carneiro)

me toma nas mãos
me toma nas mãos
me toma nas mãos

mitômanas mãos

9 comentários:

  1. Inspirado. Bom, bom, bom. Como surge um cacófato tão rico e raro?

    ResponderExcluir
  2. Andreia, vc precisa publicar (claro que vc já o faz aqui) seus escritos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho, rs. Mas você sabe que não é fácil. Beijos.

      Excluir
  3. Faço minhas as palavras de Vinícius. E aproveito para recomendar aos seus leitores o post chamado "A coisa". É um dos textos curtos mais impressionantes que já li - pelo tema, pelo trato conciso, a palavra exata. Gostaria de tê-lo escrito!

    ResponderExcluir
  4. Realmente, é a sua lírica...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ideia foi condensá-la ali. Um abraço. Grata pela visita.

      Excluir